close

  • Servir a Polónia, criar a Europa, perceber o Mundo

     

  • ACTUALIDADES

  • 14 Agosto 2019

    Quarta-feira, 14 de agosto marca o 39º aniversário da greve no estaleiro de Gdańsk, e no dia seguinte, 15 de agosto, comemora-se o 90º aniversário de Anna Walentynowicz - ativista sindical cuja remoção do trabalho foi a razão direta para a greve em 1980.

     

    Anna Walentynowicz nasceu em 15 de agosto de 1929 nos territórios orientais da Segunda República da Polónia numa família de protestantes ucranianos. Em 1943, juntamente com os gerentes polacos da propriedade Pustomyty, em que trabalhava, mudou-se para os arredores de Gdańsk, onde encontrou emprego numa fazenda. A partir de novembro de 1950, trabalhou como soldadora no estaleiro de Gdańsk e depois como operadora de guindaste. Durante os protestos dos trabalhadores em dezembro de 1970, apoiou ativamente os grevistas. Em 1978, tornou-se uma das fundadoras dos Sindicatos Livres. Por causa suas atividades, tornou-se um objeto de assédio por parte do Serviço de Segurança. Era regularmente detida por 48 horas, revistada e ameaçada de perda de emprego.

     

    Em 8 de agosto de 1980, alguns meses antes de atingir a idade de aposentadoria, foi despedida do trabalho. A decisão da administração do estaleiro Gdańsk levou a uma greve que começou em 14 de agosto. A restauração de Anna Walentynowicz foi uma das exigências dos manifestantes. A greve no estaleiro de Gdańsk transformou-se num protesto nacional, que logo levou à criação do "Solidarność" da NSZZ (o sindicato Solidariedade) e à assinatura dos acordos de Gdańsk em 31 de Agosto de 1980.

     

    Após a imposição da lei marcial em 13 de dezembro de 1981, Anna Walentynowicz foi internada. Em 9 de março de 1983, seu julgamento começou no tribunal em Grudziądz. Foi acusada de planejar uma greve em dezembro de 1981. Foi condenada a uma sentença suspensa de 1,5 anos.

     

    Em 4 de dezembro de 1983, foi presa por participar numa tentativa de construir uma placa comemorativa dos mineiros mortos na mina de carvão "Wujek". Saiu da prisão em abril do ano seguinte. Pouco depois, devido à sua saúde debilitada, a corte suspendeu indefinidamente seu julgamento em conexão com a acusação de organizar manifestações em homenagem aos mineiros mortos em dezembro de 1981.

     

    Em 3 de maio de 2006, o Presidente Lech Kaczyński concedeu-lhe a Ordem da Águia Branca.

     

    Morreu no acidente da aeronave presidencial T-154M em Smoleńsk em 10 de abril de 2010, fazendo parte da delegação que acompanhava o Presidente Lech Kaczyński no caminho para a celebração do 70º aniversário do massacre de Katyń.

     

    Por decisão do Presidente Andrzej Duda, em março de 2018, recebeu postumamente a Cruz da Liberdade e da Solidariedade. Por resolução do Sejm da República da Polónia, 2019 foi designado o Ano de Anna Walentynowicz.

     

    Departamento de Diplomacia Pública e Cultural

    MNE da Polónia

    Print Print Share: